Twitter

sábado, 16 de junho de 2012

O PECADO E SUAS CONSEQUÊNCIAS




O PECADO E SUAS CONSEQUÊNCIAS

http://2.bp.blogspot.com/-8LNKbyZ3NoM/TjXnIBtKOCI/AAAAAAAACBc/imyN0rLvJAc/s1600/pecado.jpg


INTRODUÇÃO:

“Pecado é um ato e um estado da vontade pessoal contra Deus e a vontade de Deus. O pecado origina-se da totalidade da pessoa arraigada e relacionada com aquilo que transcende a pessoa, expressa-se na complexidade da força e da fraqueza da pessoa, e resulta na distorção de todas as relações.”
Carl E. Braaten & Robert W. Jenson
           

Estudaremos nesta lição o real significado do pecado e suas terríveis consequências para a humanidade. A forma como o pecado afecta a comunhão do homem com Deus e o afasta de Sua maravilhosa presença. Mas mesmo que o pecado traga morte e destruição e nos afaste de nosso criador, a uma maravilhosa promessa a todos aqueles que invocarem ao nosso do Senhor e escutarem a Sua voz, pois assim “...diz o Senhor. "Embora os seus pecados sejam vermelhos como escarlate, eles se tornarão brancos como a neve; embora sejam rubros como púrpura, como a lã se tornarão.” Is 1.18
“Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” I Jo 1.7

I – O QUE É PECADO?
  
De acordo com o sentido original do termo, pecado é errar o alvo, transgredir a lei de Deus, desobediência (Hb 2.2), andar em via com o sentido contrário àquilo que Deus projectou para sua vida, prática de todo tipo de maldade, iniquidade e injustiça.
O pecado entrou no mundo por meio de Adão e Eva, quando estes desobedeceram a Deus enquanto ainda estavam no jardim (Gn 2.8), criado por Deus para deleite do homem.
A bíblia declara no livro de Romano Cap. 5.12: Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram;”
Desta forma, o pecado pode manifestar-se como:
IMPIEDADE: Impiedade, no grego “asébeia” (II Pd 2.6), consiste na oposição a Deus e a seus princípios, em autêntica rebelião de alma.
TRANSGRESSÃO: Transgressão, no grego “parábasis”, literalmente significa “ir além de um limite estabelecido”. Consiste na violação de princípios piedosos reconhecidos que conduzem o indivíduo á quebra da lei, afastando-o da lei moral (Mt 6.14; Tg 2.11; At 23.3; II Pd 2.16). O termo “parábasis” relaciona-se directamente com o termo grego “paráptōma”. Isto é, passos ou actos em falso ou desviar-se, apesar de estarmos instruídos o bastante para não fazê-los. Por esta razão, João afirma: “…o pecado é a transgressão da lei.” (III Jo 3.4)

III – A ORIGEM DO PECADO

Ao tratarmos o tema “A origem do pecado” se faz necessário considerar algumas proposições pertinentes ao tema.
1)     Deus não é o actor do pecado:
Ao considerar o surgimento do pecado no cenário das criaturas espirituais e humanas perguntamos: “Como Deus pôde permitir o pecado?”. Devemos considerar essa pergunta e outras relacionadas a ela com duas respostas básicas: a primeira que trata da natureza de Deus e a segunda com base nos decretos ou planos divinos.
a)     A Natureza de Deus:
A primeira resposta a respeito da origem do pecado e de que Deus não é o responsável ou autor dele, está embutida no conceito doutrinário das Escrituras a respeito da natureza de Deus. As escrituras ensinam que Deus é:
SANTO
"Vocês serão santos para mim, porque eu, o Senhor, sou santo, e os separei dentre os povos para serem meus." Lv 20.26
"Diga o seguinte a toda comunidade de Israel: Sejam santos porque eu, o Senhor, o Deus de vocês, sou santo. ” Lv 19.2
(Ref II Pd 1.16)
JUSTO
                        "Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos justos são; Deus é a         verdade, e não há nele injustiça; justo e reto é."Dt 32.4

Porque o SENHOR é justo, e ama a justiça; o seu rosto olha para os retos. ” Sl 11.7
(Ref I Jo 1.5; Tg 1.17)
DEUS A NINGUÉM TENTA
Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.” Tg 1.13
NÃO SE AGRADA DO MAL
Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniqüidade, nem contigo habitará o mal. Os loucos não pararão à tua vista; odeias a todos os que praticam a maldade. Destruirás aqueles que falam a mentira; o SENHOR aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento. ” Sl 5.4-6
Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. ” Rm 1.18
 
b)    OS DECRECTOS DIVINOS
Permissivo: Consiste na vontade permissiva de Deus, não é a sua vontade, mas por respeito ao lívre ábrito de suas criaturas e nossas vontades próprias, assim Ele o permite. Em relação ao pecado, Deus o permitiu por ter sido uma escolha directo do homem, sendo que o próprio Deus o havia alertado para não realizar tua escolha, monstranto para ele qual seria suas terríveis consequências e seu fim trágico.
Perfectos: Manifestção da vontade perfecta de Deus, prevalecendo sua soberana vontade sobre nossas vidas e sua criação, de acorde com nossas escolhas. Pois sua vontade é boa, perfecta e agradável.


II – AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO

Diferente de toda a criação, o homem é o único que possui alma vivente por meio do sopro de vida do próprio Deus (Gn 2.7), criado para governar toda a criação (Gn 1.26), sendo representante legal de Deus na terra. O Senhor Deus disse: "Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança...” (Gn 1.26) a fim de que tivesse comunhão com Ele, a bíblia declara que todos os dias, o próprio Deus “...andava pelo jardim quando soprava a brisa do dia...” (Gn 1.8).
Até então não havia pecado no homem e este se relacionava com Deus, ao pecar, o pecado criou uma barreira de separação entre o homem e Deus, “pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus,....” (Rm 3.23).
Um dos atributos de Deus é Sua santidade, Deus é santo. O profeta Isaías descreve no capítulo 6, versos 2 e 3 do seu livro a visão da santidade da Majestade divina:
2. Acima Dele estavam serafins; cada um deles tinha seis asas: com duas cobriam o rosto, com duas cobriam os pés e com duas voavam.
3. E proclamavam uns aos outros: "Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos, a terra inteira está cheia da sua glória.

Devido Sua santidade, Deus não possui maldade, engano, malícia e nem iniquidade (Is 53.9).
Alem da santidade o amor e a justiça faz parte dos atributos divinos
Justiça:
Sl 11.7 - Pois o Senhor é justo, e ama a justiça; os rectos verão a sua face;
Sl 25.8 - Bom e justo é o Senhor; por isso mostra o caminho aos pecadores.
Amor:
 I Jo 4.8 - Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor;
 I Jo 4.16 - Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele.
Jo 3.16 - Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigénito para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.
           
            Quando pecamos ofendemos a santidade divina e não podemos nos relacionar com Ele. A bíblia declara que “...o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Rm 6.23).
            O pecado gera a morte e a eterna separação de Deus, pois todos que pecam e andam no pecado não podem ver a face do Senhor. Assim como quando transgredimos uma lei do governo, pagamos pela consequência do nosso erro, ao pecarmos contra Deus e permanecermos no erro, pagaremos pela consequência de nossas atitudes (Gl 6.7 - Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.)
            Deus nos ama, “...e deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade.” (I Tm 2.4)
            Foi o pecado que trouxe ao mundo o homicídio (I Jo 3.12 - Não sejamos como Caim, que pertencia ao Maligno e matou seu irmão. E por que o matou? Porque suas obras eram más e as de seu irmão eram justas.), a mentira (At 5.3 - Então perguntou Pedro: "Ananias, como você permitiu que Satanás enchesse o seu coração, ao ponto de você mentir ao Espírito Santo e guardar para si uma parte do dinheiro que recebeu pela propriedade?), o adultério, as enfermidades, pestes e todas as mazelas da sociedade moderna.
            O pecado nos cega espiritualmente e conduz o coração do homem as mais terríveis depravações. Veja o que o pecado faz com a humanidade de acordo com as escrituras sagradas:
  
Romanos 1. 21-32

21. Porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e o coração insensato deles obscureceu-se.
22. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
23. E trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis.
24. Por isso Deus os entregou à impureza sexual, segundo os desejos pecaminosos do seu coração, para a degradação do seu corpo entre si.
25. Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém.
26. Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza.
27. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer actos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmo o castigo merecido pela sua perversão.
28. Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam.
29. Tornaram-se cheios de toda sorte de injustiça, maldade, ganância e depravação. Estão cheios de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malícia. São bisbilhoteiros,
30. Caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presunçosos; inventam maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais;
31. São insensatos, desleais, sem amor pela família, implacáveis.
32. Embora conheçam o justo decreto de Deus, de que as pessoas que praticam tais coisas merecem a morte, não somente continuam a praticá-las, mas também aprovam aqueles que as praticam.

Gálatas 6. 19-21

19. Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem;
20. Idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções
21. E inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.

Deus nos chama para vivermos uma vida de santidade e comunhão com Ele por meio de Cristo Jesus, o Senhor. Ele nos diz: “...o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei os seus pecados e curarei a sua terra.” II Cr 7.14

 III - CONCLUSÃO

 O pecado gera a morte e nos afasta de Deus, devemos abandonar a prática do mesmo e viver de forma santa diante do nosso Deus a fim de que venhamos contemplar Sua maravilhosa face. Devemos ser separados do mundo e de suas concupiscências, resplandecendo ao mundo a glória de Cristo.
As escrituras sagradas afirmam que:
Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor. Vivam como filhos da luz... (Ef 5.8)
Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. (I Jo 1.7)




By Bishop Eduardo Rodrigues
IBT - Portugal

5 comentários:

  1. È sempre ótimo ter estudos a luz da Bíblia,confiável. Foi proveitoso para mim. Quanto ao estudo de Hamartiologia e trabalho do Seminário. Deus continue vos abençoando.
    Obrigada

    ResponderEliminar
  2. Muito boa palavra! Me ajudou muito. Obrigada

    ResponderEliminar
  3. Muito boa palavra! Me ajudou muito. Obrigada

    ResponderEliminar
  4. Ótimo estudo! Gostaria apenas alertar para a revisão do estudo antes da publicação, contém muitos erros ortográficos. Apenas uma observação, sem maldade! Deus abençoe.

    ResponderEliminar
  5. gracas a Deus consegui ter pelo menos o minimo que eu queria.

    ResponderEliminar